Priscila e Duda: bons frutos do Dança Catarina

0
107
Priscila e Maria Eduarda, de alunas a coreógrafas, representam os resultados do projeto Dança Catarina nas regiões do estado (foto: Heron Queiroz)

Por Heron Queiroz

Em quase 20 anos de existência o Festival Escolar Dança Catarina tem colido seus frutos e ajudado a desenvolver a dança no estado. Muitos dos alunos-bailarinos que passaram pelo evento tornaram-se coreógrafos e estão ajudando a revelar novos talentos. É o caso da professora Priscila Dallabona Meneghelli.

Tudo começou na Escola Gertrud Aichinger, de Ibirama, quando ela tinha 12 anos e participou pela primeira vez do projeto desenvolvido pela Fesporte. Foram nove anos sem ganhar absolutamente nada em termos de troféus ou medalhas, contou-nos Priscila. Então foi para Presidente Getúlio e passou a dar aulas de dança como voluntária, em troca apenas de janta para poder ir para a faculdade.

A população tradicionalista da cidade passou a ter uma nova visão sobre a arte da dança e apoiou a causa da jovem professora. A partir disso, a dança da região passou a crescer e conquistar títulos no Dança Catarina. Só no infantil livre, foram sete anos seguidos. Priscila diz que perdeu as contas, mas acredita ter mais de 60 troféus e medalhas conquistados no projeto, competindo pela Escola Tancredo Neves.

Além do Festival Dança Catarina, ela possui outras conquistas, e a principal delas aconteceu em nível internacional. Atuando pelo grupo Fênix, ela encaminhou dois vídeos para a organização do Festival Internacional de Danças, que seria realizado em 2015, na cidade do Porto, em Portugal. O material continha jazz e outra de danças urbanas, além de uma joia por ela lapidada, a bailarina Maria Eduarda Kietzer Scence, a Duda, então com 13 anos.

Para a surpresa da coreógrafa de da bailarina, foram classificadas e passaram seis dias em terras lusitanas, participando de cursos e das competições do Festival. De lá trouxeram o título de campeãs em danças urbanas, que lhes rendeu uma homenagem pela Fesporte naquele mesmo ano. Duda, com nove títulos seguidos no Dança Catarina, segue o mesmo caminho de Priscila. Atualmente no Grupo Águia Dourada, a jovem bailarina, de 16 anos, também é auxiliar de dança, desenvolvendo coreografias e revelando novos talentos ao lado da professora Priscila.

Priscila participou nesta edição do Dança Catarina na programação das mostras, com a coreografia “Tango com Jazz Acrobático Duo” (foto: Heron Queiroz)

“O Festival Dança Catarina foi o principal responsável por tudo isso. Tivemos a oportunidade de aprender mais com os cursos que eram ministrados pelos jurados. Agradeço principalmente à Mapi Cravo e ao João Biasotto, pois, muito do que sei hoje aprendi com eles”, disse Priscila, sustentando na barriga de grávida mais um provável talento da dança que estará nas mãos de quem sabe gerar bons frutos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here