Parajasc é o sinal que Jaraguá se prepara para o futuro

Prefeito Antídio Lunelli e Natália Lúcia Petry, presidente da Fesporte, enaltecem a importância de Jaraguá do Sul sediar os Parajasc 2018 (Foto: Roberto Dias Borba(

Por Roberto Dias Borba

     Na solenidade de abertura dos 14º Jogos Abertos Paradesportivos de Santa Catarina, na noite desta quarta-feira (10), o prefeito Antílio Aleixo Lunelli destacou o esforço coletivo de Jaraguá do Sul para realizar o evento em tão pouco tempo.

      “Precisamos cumprimentar as 290 pessoas envolvidas na organização do evento”, disse Lunelli. Para o prefeito, a cidade se enche de alegria por sediar pela segunda vez os Parajasc. Para ele, desde o ano passado “a nossa Jaraguá” está sendo recolocada na rota do desenvolvimento. E reforça: “O esporte faz parte deste projeto”.

     Em pouco menos de 60 dias Jaraguá assumiu sediar os jogos em função da desistência de Itajaí. “Não falamos assim apenas em época de jogos. O comprometimento é muito grande em atender as pessoas com necessidades especiais durante todo o tempo”, ressalta o prefeito. Ele garante que desta maneira Jaraguá está se preparando para o futuro e tem orgulho do papel que a cidade projeta para o futuro melhor para todos.

     Presente na solenidade de abertura dos 14º Parajasc, Ivaldo Brandão, presentando o Comitê Paralímpico Brasileiro, na condição de vice-presidente da entidade, disse que são poucos os estados que se porpoõe a fazer um evento deste nível. Para ele, trata-se de ousadia, pois poucos tem esta coragem. Brandão disse para todos os atletas saberem aproveitar o evento.

     “A participação nos Parajasc pode levar estes atletas a representar o Brasil em futuras competições internacionais”, arrisca Brandão. O dirigente observa que estes jogos servem para dar dignidade e visibilidade as pessoas com deficiências.

     A presidente da Fesporte, Natália Lúcia Petry, elogiou o prefeito de Jaraguá por proporcionar aos atletas dos 14º Parajasc utilizar um equipamento inédito para a natação paraolímpica no Estado. Trata-se de um elevador adptado para os atletas terem acesso às raias da piscina da Sociedade Acaraí.

    Ao mesmo tempo, a presidente da Fesporte também agradeceu todos que abraçaram a ideia de Jaraguá do Sul assumir o evento. O esforço, segundo a dirigente, foi recompensado para dar a oportunidade para os atletas participar. “Sem os atletas não haveriam Parajasc e nem a Paraolimpíada”, resume.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here