Matheus, Marciana e Felipe brilham no 1º dia do atletismo

Matheus França, de Blumenau (camisa branca), conquistou duas medalhas de ouro (Foto: Antonio Prado)

Por Antonio Prado

     O primeiro dia do atletismo dos Jogos Abertos Paradesportivos de Santa Catarina (Parajasc), nesta quinta-feira, (11), em Jaraguá do Sul, superou a expectativa.  O que se viu foi mais uma vez os atletas se superando na pista e nem a chuva fina impediu o ímpeto dos participantes. Entre centenas de corredores três se sobressaíram: Matheus França e Marciana Sassemann, de Blumenau, e Felipe Santos, de Jaraguá do Sul.

     Matheus França, 20 anos, deficiente intelectual, é daquelas pessoas dedicadas no que faz. Participante há cinco anos da equipe de atletismo da Associação do Paradesporto de Blumenau (Apesblu), ele é um exemplo de como o esporte pode transformar as pessoas.

     “Quando ele chegou para treinar com a gente não tinha noção de como sair do bloco de partida. Tinha dificuldade de compreender as coisas já que tem déficit de aprendizagem. Hoje, pode-se dizer, que ele entra sozinho na pista, monta seu bloco de partida na raia de prova e é um dos melhores da equipe de atletismo de Blumenau que disputas os Parajasc”. O relato é de Gabriela Vieira, técnica de Matheus.

     E quando o garoto entrou na pista de atletismo nesta quinta-feira, em Jaraguá do Sul, as palavras de sua professora se confirmaram. Ele conquistou duas medalhas de ouro na classe T 20, sendo uma nos 200 metros e a outra no salto em distância. Foi ainda prata nos 100 metros. Ano passado, o atleta já há havia brilhado nos Parajasc com três medalhas de ouro: 100 e 200 metros e ainda no salto em distância.

     Assim como Matheus, quem também brilhou foi sua colega de equipe Marciana Sassemann Steffen, 19 anos, que conquistou três medalhas de ouro na classe T-20: nos 100 e 400metros e no salto em distância. “Meu dia foi muito bom e saiu tudo como eu esperava e dedico esta vitória para minha técnica Gabriela Vieira, que é muito ótima”, disse a campeã toda orgulhosa com as três medalhas de ouro no peito.

     “Já eu dedico a vitória a mim mesmo”, disse no pódio Felipe Santos, de Jaraguá do Sul, 23 anos, vencedor dos 100 metros para atletas com síndrome de down. O garoto é uma figura. Usa óculos de grau que fica escuro de acordo com a temperatura. Em todas as provas que participa comemora a vitória antes da linha de chegada independente de sua posição na prova. E nesta quinta arrancou aplausos da plateia quando cruzou a linha de chegada comemorando bem antes. Desta vez com razão e propriedade.

     O atletismo dos Parajasc prossegue nesta sexta, sábado e domingo, com provas para atletas com deficiência física e visual.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here