Primeiros medalhistas de ouro dos Jasc 2018 são de São José e Floripa

Mauro e Djenyfer exibem medalhas conquistadas no primeiro dia de natação (foto: Heron Queiroz)

As primeiras medalhas da 58ª edição dos Jogos Abertos de Santa Catarina (Jasc) saíram nesta sexta-feira, 31, para a natação. Por questões de infraestrutura, a modalidade foi realizada em Florianópolis, no Clube Doze de Agosto. E as duas primeiras medalhas de ouro, feminino e masculino respectivamente, ficaram na Grande Florianópolis.

No feminino, a primeiríssima medalha desta edição foi para quem já está acostumada ao lugar mais alto pódio nos Jasc. Djenyfer Arnold, 25 anos, foi ouro nos 400 metros medley. Ela compete pela primeira vez por São José, depois de 10 participações representando Florianópolis.

Natural de São Bento do Sul, Djenyfer atualmente está mais voltada ao triatlo, modalidade a que aderiu recentemente e hoje pertence ao Clube Pinheiros, de São Paulo. “Estou muito feliz porque hoje sou triatleta, então fiquei em dúvida, mas decidi vir competir pela natação e agora estou bastante tranquila”, comentou.

Além do ouro nos 400 metros medley, Djenyfer foi prata nos 200 metros costas e no revezamento 4×100 livre. Com isso, ela chega a um número de 77 medalhas, que pode aumentar até o fim da competição, no domingo, 31. A nadadora detém hoje o recorde de medalhas para um atleta numa única edição. Foi em Brusque, em 2010, quando ela conquistou  sete medalhas e foi premiada como a melhor atleta daquela edição.

No masculino, o primeiro ouro também foi na prova de 400 metros medley. E outro papão de medalhas marca o início dos Jasc. Mauro Henrique Fernandes, 24 anos, que é natural de Orleans e nadou por Florianópolis, além da medalha, estabeleceu um novo recorde da prova nos Jasc, com o tempo de 4:21.76, derrubando a marca de 4:24.26, que pertencia do dinamarquês Jacob Caristensen, que competiu por Itajaí nos Jasc de Criciúma, em 2011.

“Há muito vinha buscando esse recorde, mas não esperava muito este ano porque baixei meu ritmo de treino em função das provas na faculdade. Estou feliz demais”, disse o nadador. Além da prova dos 400 metros medley, Mauro conquistou mais um ouro, na prova de revezamento 4×100 livre.

Assim como Djenyfer no feminino, Mauro é o atleta masculino com maior número de medalhas num único. Foram seis nos Jasc de 2017, em Lages. Perdendo por uma medalha para a sua namorada. Dissemos namorada? Isso mesmo. Além de tantas coincidências, Djenyfer e Mauro hoje são namorados. Conheceram-se durante o Troféu Chico Piscina, em 2007, na cidade de Mococa (SP), pela seleção catarinense. Fizeram amizade, e o namoro começou mesmo há 11 meses. Eles garantem que têm amor até debaixo d’água.

Texto: Heron Queiroz

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here